A Nestlé recorreu a Schneider Electric para realizar um estudo em 23 fábricas das suas fábricas no Brasil com o objetivo de traçar recomendações sobre como aumentar a eficiência de cada planta. Chamado de assessment MPS – sigla para Modernização, Performance e Segurança, o estudo também vai traçar uma previsão do capital necessário para implementar as recomendações traçadas.

Foram analisadas, entre 2013 e 2016, as unidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo e Rio Grande do Sul, produtoras desde chocolates, lácteos, cereais, biscoitos e cafés, até nutrição infantil, bebidas e pet food. “O assessment nos forneceu mais detalhes a respeito do ciclo de vida e condição de componentes relacionados às nossas instalações”, declara Danilo de Faria, gerente de Engenharia, departamento de Elétrica, Automação e Digital em Manufatura da Nestlé Brasil.

De acordo com ele, entre as mudanças sugeridas, estão troca de componentes das subestações, ajustes de procedimentos e propostas de melhorias. “As atualizações fazem parte de um plano corporativo para execução, conforme priorização definida pelo estudo e alinhado com as prioridades estabelecidas pela empresa.”

A Nestlé investe nos serviços da Schneider Electric com um grande objetivo em vista: suas fábricas devem atingir um novo patamar operacional até 2020. “A Nestlé está caminhando com a implementação de tecnologias da Indústria 4.0 e acelerando o plano de expansão, sempre com foco em soluções que entregam resultado operacional e financeiro para a empresa”, sustenta Faria. “A Schneider foi escolhida pela nossa matriz como fornecedor mundial para execução do trabalho”, finaliza.

Recent Posts